sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

"YANKES" Não sejam injustos

"YANKES" PRA NÃO DIZER, INDIOS, QUE É O QUE ELES DIZEM QUE SOMOS...
Sabemos agora, que não é só a IMPRENSSA brasileira, que é sensacionalista, muito me espanta, países de primeiro mundo fazer este estardalhaço com um veiculo que significa nada mais nada menos, do que
"A RETOMADA"

Recentemente vem sendo noticiado que o Chevrolet Volt, o principal lançamento e símbolo da reestruturação da General Motors sofre de um problema grave: “Suas baterias pegam fogo depois de um tempo paradas.”

A princípio isso é assustador, imagine só você ser acordado a noite pois seu carro pegou fogo sozinho, na garagem. Queimando outros carros e até mesmo documentos e material de trabalho seu que podem estar nele. O problema é que boa parte da imprensa é sensacionalista e vive disso pra vender jornais e notícias e se preocupam mais em apontar os problemas mas não as circunstâncias e reais causas.


É bem como a vida real, quando se trata de criticar as vezes as pessoas esquecem de analisar a situação por inteiro. E é exatamente o caso do Volt.


A NHTSA, órgão norte-americano responsável pela segurança e administração do tráfego e veículos do EUA faz crash tests com vários modelos. Após os testes eles ficam num pátio, e após duas semanas do crash test do Volt, os modelos pegaram fogo. Assim, do nada.



Três semanas. É tempo suficiente para a remoção do veículo de um acidente, e para o atendimento dos ocupantes do mesmo. Após um acidente grave, caso o veículo seja reparado, é verificado absolutamente TUDO e as baterias não passariam em branco, mesmo porque é um veículo que devido a sua tecnologia só pode ser reparado nas concessionárias. 

Carros comuns possuem dispositivos que cortam a bomba de gasolina para evitar incêndios e mesmo assim se retira a gasolina do tanque para evitar problemas.

Como a própria GM declarou, “deixar baterias com carga após um acidente é como deixar gasolina vazando de um tanque”, e relatou também que a NHTSA não realizou o procedimento de descarga das mesmas. 
Ou seja, o fabricante conhece seu produto como ninguém e deixa uma orientação com um órgão governamental que NÃO cumpre as mesmas. Dá problema, e a culpa é do fabricante?


Carros de crash test ficam a céu aberto, levando chuva e sol e  não é preciso ser nenhum gênio para saber que uma bateria é perigosa e pode explodir ao levar um impacto e/ou se exposta a altas temperaturas. Essas observações estão presentes em qualquer pilha, bateria, o que for.


Mas infelizmente, a notícia se espalhou e a interpretação dela não foi das melhores. A General Motors está fazendo o possível para que a imagem do modelo (e da marca) não sejam comprometidas:
  • Enviou cartas e e-mails aos proprietários, explicando o caso das baterias e disponibilizando um canal para solucionar dúvidas a respeito do problema como também ofereceu qualquer carro GM para o proprietário até a solução do caso, se ele mesmo assim não sentir confiança no veículo. Isso inclui um Camaro, Corvette… Qualquer carro!
  • Estão trabalhando junto da LG (fabricante das baterias) para aprimorar ainda mais a proteção das baterias e eliminar qualquer risco de explosão, o que considero difícil. Como evitar que gasolina escorra de um tanque após um acidente grave? Carros batem de tudo quanto é maneira, mas mesmo assim é uma atitude correta por parte do fabricante.
  • Junto da SAE (Society of Automobile Engineers) e outros fabricantes, buscam juntos definir um padrão de qualidade, construção e resistência para essas baterias, diminuindo custos e facilitando posteriores manutenções e etc. 


O que mais falta ser feito? Tudo que está ao alcance do fabricante está sendo feito, até mais do que o esperado. A crise e a quase falência de 2009 levaram a General Motors a um renascimento e sua filosofia mudou radicalmente, e nós entusiastas podemos ver isso em tudo.


Mas infelizmente, há muita desinformação e falta de interesse em obter a verdade, que auxiliado por uma imprensa mal intencionada faz com que boatos, informações distorcidas e piadinhas infelizes queimem o filme de um carro tão importante não só pra história da General Motors, como também a história do automóvel. Um carro que tem tudo pra dar certo.


E vai dar muito certo, se depender dos votos deste que vos escreve.

Nenhum comentário: